Delegado baleado por índios é transferido para Imperatriz

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]

Imperatriz – O delegado regional de Barra do Corda, Edmar Cavalcanti, deu entrada no pronto socorro do Hospital São Rafael em Imperatriz, por volta de 01h10 da madrugada desta segunda – feira, 8. Ele foi transferido para a unidade hospitalar, após receber os primeiros atendimentos na cidade de Grajaú, em virtude da gravidade dos ferimentos provocados pelos disparos de arma de fogo e pelos cortes na mão esquerda, que teve o dedo anelar (quarto dedo) decepado.

Após os procedimentos de emergência e os exames iniciais, feitos pelos médicos Ricardo Barun (gastroenterologista), Jean Márcio (ortopedista) e Felipe Melo (clínico), ficou constatado que o policial foi alvejado no tórax pelo lado direito, um tiro em cada uma das pernas, nas nádegas e no braço esquerdo, além do dedo anelar (quarto dedo) decepado e do quinto dedo, ter recebido um corte profundo.

Encaminhado para a cirurgia de emergência na mão, o delegado foi operado pelo ortopedista Jean Márcio, e segue estável, sem alterações em seu quadro clínico, internado em um dos apartamentos do hospital.

Edmar Cavalcanti chegou em Imperatriz em uma ambulância do Governo do Estado cedida a prefeitura de Grajaú. Estava acompanhado do cabo da Polícia Militar Antonio Sousa, da 15ª Companhia Independente de Grajaú. Durante o deslocamento, o delegado estava consciente e manteve a tranqüilidade.

O Cabo Sousa, informou que o delegado deu detalhes, sobre o ocorrido. Segundo ele, na noite de domingo, 7, por volta das 19h, Edmar Cavalcanti, ao tentar passar pela rodovia federal a bordo de uma motocicleta, foi interceptado por um grupo de índios que estariam se organizando para fazer uma manifestação contra a Funai naquele trecho, portando facões e espingardas.

“Cavalcanti identificou-se como delegado regional e pediu passagem, mas os índios negaram e tentaram fazer o policial como refém. Daí, os índios passaram a agredir o delegado com socos e golpes de facão, decepando um dos dedos da mão esquerda. Após ser atingido, Cavalcanti sacou a arma e disparou contra os índios e depois foi alvejado por cinco tiros de espingarda”, disse.

Ele foi socorrido por um caminhoneiro que passava pelo local, no momento do incidente.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado, já enviou reforço da Polícia Militar para a região onde ocorreu o confronto entre índios Guajajara e o delegado da Polícia Civil, Edmar Gomes Cavalcanti, na BR 226, próximo a Barra do Corda.

Os delegados Jefrey de Paula, Leonardo Carvalho e Lúcio Rogério, da 10ª delegacia regional de Segurança em Imperatriz, acompanharam o atendimento do colega baleado e lamentaram o fato.

Leonardo Carvalho, revelou ainda, que por volta das 15h30 passou pelo trecho da BR – 226, vindo de Teresina/PI com destino a Imperatriz e naquele horário, não percebeu nenhuma movimentação atípica dos indígenas. “Passei ali à tarde e não observei nenhuma anormalidade. A estrada estava com movimento tranqüilo, até por ser um domingo. Fiquei estarrecido com a violência praticada pelos índios”, declarou.

De acordo com o cabo da PM Antonio Sousa, o delegado Edmar Cavalcanti vem realizando um bom trabalho a frente da Delegacia Regional de Segurança em Barra do Corda. “Ele é trabalhador e vem realizando um trabalho intenso no combate ao crime naquela região. Sempre foi um homem ordeiro e muito pacato”, garantiu.

A regional de Barra do Corda, é responsável pelos municípios de Barra do Corda, Grajaú, Jenipapo dos Vieiras, Formosa do Grajaú, Itaipava do Grajaú, Fernando Falcão e Arame.