Investimentos anunciados devem elevar em 30% o volume de cargas do Porto do Itaqui

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]

Investimentos-para-o-Porto-do-ItaquiCom os investimentos anunciados pelo governo federal na terça-feira (9), o Porto do Itaqui terá capacidade de movimentar 2 milhões de toneladas/ano de celulose e 4,3 milhões de toneladas/ano em graneis minerais, uma elevação de 30% na movimentação de cargas. O anúncio foi feito pela presidenta Dilma Rousseff ao governador Flávio Dino na cerimônia que marcou o lançamento do Programa de Investimento em Logística 2015/2018 do governo federal.

O governador Flávio Dino explicou que o investimento é estratégico para o Brasil e que a inclusão do Maranhão nesse plano reafirma a posição privilegiada do Estado como polo logístico para trocas comerciais do país. “Eu acredito muito que esse plano vai alavancar essa nova fase do desenvolvimento brasileiro que se inicia. Para que a agricultura se desenvolva e a indústria cresça, é preciso essa importante articulação do poder público e da iniciativa privada”, disse o governador do Maranhão durante a cerimônia no Palácio do Planalto.

Entre os contemplados no Programa de Investimento em Logística (PIL), do governo federal, com previsão de R$ 509 milhões em investimentos, o Porto do Itaqui consolida-se como um dos principais polos de movimentação de cargas do país. De acordo com o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, que esteve em Brasília ao lado do governador Flávio Dino para o anúncio desses investimentos, a inclusão do Porto do Itaqui no programa representa um grande passo para a expansão da fronteira agrícola do MATOPIBA e para o desenvolvimento econômico do Maranhão.

“Esses investimentos atenderão diretamente às demandas geradas pela produção de celulose no interior do Maranhão, bem como a expansão da fronteira agrícola da região do MATOPIBA (estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), proporcionado pelo Tegram, o Terminal de Grãos do Maranhão”, afirmou Ted Lago.

O investimento para o Porto do Itaqui contempla dois terminais, sendo um para celulose, com capacidade de movimentação de 2 milhões de toneladas/ano, e outro de graneis minerais, preferencialmente fertilizantes, com capacidade de movimentação de 4,3 milhões de toneladas/ano. A licitação do bloco 2 deve ocorrer no primeiro semestre de 2016, contemplando áreas ‘greenfield’ do porto organizado do Itaqui.

Hoje a maior parte dos fertilizantes demandados pela região se utiliza de portos no Sul e Sudeste para sua importação. Quando concluídos, esses terminais irão gerar um aumento de 30% no volume de carga movimentada pelo Porto do Itaqui.