Conferência internacional debate cultura de paz entre nações em São Luís

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]
Foto 6 Handson Chagas - conferência mundial da paz

O Secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves representou o Governador Flávio Dino no evento, que faz parte da programação da campanha ‘Novembro pela Paz’, reuniu representantes de vários continentes. Foto: Handson Chagas/Secap

O Conselho Mundial da Paz (CMP), em parceria com o Governo do Estado, realizou, neste domingo (20), no Hotel Luzeiros, em São Luís, a Conferência Mundial da Paz. O evento, que faz parte da programação da campanha ‘Novembro pela Paz’, reuniu representantes de vários continentes.

Presentes delegações de pelo menos 24 países: África do Sul, Alemanha, Barbados, Bélgica, Bolívia, Canadá, Chile, China, Chipre, Colômbia, Cuba, Estados Unidos, Filipinas, Grécia, Índia, Irã, Japão, Líbano, México, Nepal, Palestina, Portugal, Palestina e Vietnã.

O secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Francisco Gonçalves, representou o governador Flávio Dino na conferência. Ele saudou a presença dos representantes que atuam pela resistência à política imperialista no mundo.

evento, que faz parte da programação da campanha ‘Novembro pela Paz’, reuniu representantes de vários continentes. Foto: Handson Chagas/Secap

evento, que faz parte da programação da campanha ‘Novembro pela Paz’, reuniu representantes de vários continentes. Foto: Handson Chagas/Secap

“São várias gerações que, nas últimas décadas, têm se dedicado a uma cultura de paz. O Governo do Maranhão é comprometido com o desenvolvimento econômico e humano e a diversidade humana é valorizada e respeitada; o Governo do Estado acolhe a todos e a todas e estabelece profundo diálogo entre os povos buscando o entendimento. Fazemos parte de uma geração que lutou conta a ditadura e que, hoje, preza pela justiça, pela paz e pela democracia”.

O secretário de Estado da Secretaria Extraordinária de Igualdade Racial, Gerson Pinheiro, falou da importância da conferência ter sido realizado no dia 20 de novembro, quando é celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra em todo o país. “A Conferência Mundial da Paz é a culminância das ações de todas as etnias, todos os povos, buscando a boa convivência. E esse é o trabalho que estamos fazendo, também, agora, na Semana da Consciência Negra. Nós acabamos de fazer um ato reunindo todo povo negro. E, na campanha, o lema é o ‘Respeito à religiosidade é o caminho da igualdade’. Então começa daí, os povos, o homem tem que reconhecer o direito do homem”.

A mesa da conferência foi composta pela presidente do CMP Socorro Gomes (Brasil); secretário Francisco Gonçalves (Brasil); secretário-geral do CMP, Athanassis Pafilis (Grécia); presidente do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), Antônio Barreto de Sousa (Brasil); coordenadora do CMP na Europa, Ilda Figueiredo (Portugal); coordenador do CMP nas Américas, Silvio Yrola (Cuba); coordenador do CMP na Ásia, Rabinda Adhirars (Índia); coordenador do CMP no Oriente Médio, Aqel Taqaz (Palestina); e pelo coordenador do CMP na África, Chris Matlhako (África do Sul).

A presidente do CMP Socorro Gomes abriu o debate após declarar São Luís a capital mundial da paz. “Esta assembleia sai daqui colocando a necessidade de sairmos mais fortes pra defendermos a soberania dos povos, como é o direito de várias nações aqui representadas, baseados nos preceitos fundantes das Organizações das Nações Unidas (ONU)”.

O evento contou ainda com apresentação de abertura da Orquestra Jovem do Maranhão João do Vale, sob a regência do maestro Edson Gomes, e do Boi de Maracanã, comandado pelo cantador Ribinha de Maracanã, filho de Humberto de Maracanã.

Ao final dos pronunciamentos, o artista cubano do MOVPAZ, Walter Diaz Moreno, Francisco Gonçalves e o presidente do CMP nos Estados Unidos, Alfred Marder, receberam uma placa pelos trabalhos realizados em prol da cultura de paz e respeito aos direitos humanos.

Novembro pela Paz

A campanha ‘Novembro pela Paz’ promove a cultura de paz e respeito aos direitos humanos no Maranhão, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e parceiros que desenvolvem diversas ações e atividades visando estimular uma melhor convivência e respeito entre os maranhenses.

O Maranhão foi o destino escolhido pelo CMP para sediar as discussões por ser uma localidade estratégica para debater questões como direitos humanos, racismo, desigualdades sociais e econômicas, religião entre outros assuntos. As assembleias e conferência têm como objetivo fortalecer a paz, amizade e solidariedade entre povos. Representantes de todos os estados brasileiros e de todos os continentes estão presentes no Estado para colaborar com o diálogo e a manutenção do conselho.